Responsabilidade Social

A EDP apoia iniciativas promovidas pela comunidade onde se insere, promovendo a realização de projectos que, de outra forma, não teriam apoio financeiro, e fomentando o desenvolvimento económico, social e cultural. Desta forma, procura manter e reforçar uma longa tradição assente em critérios de transparência e cooperação.

No apoio aos projectos são considerados critérios que tenham em conta:

  • O Código de Ética, os Princípios de Desenvolvimento Sustentável e a Política de Stakeholders do Grupo EDP;
  • O enquadramento na Politica de Investimento Social da EDP Produção
  • A credibilidade das organizações e a sua contribuição para, pelo menos, uma das dimensões do desenvolvimento sustentável;
  • O valor e a relevância dos projectos para as comunidades;
  • As relações económicas, institucionais ou sociais com o Grupo EDP.

A Fundação EDP reforça o compromisso do Grupo com o imperativo de cidadania que tem assumido ao longo da sua existência e traduz uma preocupação de afirmação de modernidade e de apoio às causas relevantes em Portugal, complementando, assim, o papel do Estado face ao terceiro sector.

A sua actuação é pautada por um espírito inovador e participativo, onde a criatividade é a grande protagonista, posicionando-se enquanto verdadeiro parceiro das actividades que promove. A partilha de informação e de objectivos, a geração de sinergias, a criação de redes sociais, a prestação de contas e a medição criteriosa dos impactos, são ingredientes fundamentais na garantia de resultados e na sustentabilidade dos projectos

A Fundação EDP desenvolve múltiplas acções no âmbito da inovação, responsabilidade social e mecenato, apostando na descentralização da sua acção a todo o território nacional e privilegiando:

  • O património e os valores nacionais;
  • As manifestações culturais de qualidade, a colaboração com instituições relevantes na vida cultural portuguesa e o desenvolvimento da produção artística nacional;
  • O envolvimento da população em actividades técnico-científicas e ambientais;
  • O apoio a instituições de saúde e solidariedade social, com projectos estruturantes para as comunidades em que se inserem;

A EDP entende que a construção de barragens constitui um desafio e uma oportunidade de desenvolvimento para as regiões onde se localizam os projectos e, que, os stakeholders locais têm uma importante palavra a dizer. Consciente dos impactos que obras de grande envergadura têm para a região, a EDP pretende ser parceira no desenvolvimento das respectivas comunidades, nomeadamente através dos eixos de actuação da Fundação EDP. Esses eixos de actuação centram-se na articulação com os diversos stakeholders envolvidos, no alinhamento de posturas de transparência e cooperação e na sistematização da abordagem nas diferentes fases evolutivas dos projectos.

Para a EDP não faz sentido investir no Ambiente sem falar de Pessoas. Envolver as populações nas suas obras é objectivo do Grupo, estabelecendo um canal de comunicação bi-direccional entre a empresa e as comunidades, que permita entender as suas legítimas preocupações e expectativas, prestar os necessários esclarecimentos e desenvolver programas ajustados às necessidades.

Este modelo inclusivo de tomada de decisão, permite manter um diálogo mais consistente com os stakeholders, ajustar os programas à realidade e às expectativas das comunidades locais.

Construir barragens deve significar uma melhoria das condições de vida dos portugueses e os primeiros a beneficiar disso devem ser aqueles que vivem nas regiões onde as barragens são construídas.