EDP prepara contratação local para construção da barragem de Foz Tua

Lisboa, 15 de junho de 2011

A EDP quer garantir o máximo de incorporação de mão-de-obra local nas obras de Foz Tua, estando já a desenvolver planos com o consórcio construtor Mota-Engil/Somague/MSF, a Direção Norte do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e o Centro de Formação Profissional da Indústria da Construção Civil Norte.

Hoje, responsáveis destas entidades visitam as obras do Baixo Sabor. Vão conhecer os métodos de recrutamento e as condições de trabalho adoptadas pelo consórcio Bento Pedroso-Odebrecht/Lena Engenharia e pela EDP. O objectivo é replicar as boas práticas no estaleiro de Foz Tua.

Em paralelo, estão a ser identificadas as necessidades de recrutamento e de formação de modo a dotar os trabalhadores das competências exigidas pelas empresas contratantes.

Esta abordagem inovadora, e em parceria, garante não só a criação de postos de trabalho, diretos e indiretos, durante os cinco anos de construção, como também empregabilidade futura, graças à qualificação profissional entretanto conseguida.

A iniciativa visa atender a uma das principais expectativas detectadas pela EDP nos inquéritos de opinião realizados nas regiões abrangidas pelas novas barragens que colocam a criação de emprego no topo da lista de preocupações.

A barragem de Foz Tua, em fase inicial de construção, estará concluída em 2015. Vai criar quatro mil empregos, mil dos quais diretos, implicando um investimento superior a 300 milhões de euros. Localizada na foz do rio Tua, a barragem integra o plano de investimentos hídrico da EDP destinado a reforçar a capacidade de produção de energia renovável, endógena e limpa.

Vídeos