EDP contrata equipamentos para reforço de Salamonde

Lisboa, 09 de maio de 2011

A EDP assina hoje o contrato de aquisição de equipamentos para o reforço de potência da central de Salamonde, localizada no distrito de Braga. O contrato foi adjudicado ao consórcio Alstom Portugal/Alstom France/Ensulmeci.

A aquisição, no valor de 55,5 milhões de euros, envolve o fornecimento de um grupo reversível, com uma potência de 207 MW, equipamentos auxiliares e de comando e controlo, um transformador de 250 MVA e uma ponte rolante com capacidade para movimentar cargas até 500 toneladas.

Salamonde II faz parte do plano de investimentos do Grupo EDP na energia hídrica.
Este plano permitirá o aumento da capacidade instalada em cerca de 3 500 MW, até ao final da década, envolvendo investimentos próximos de 3 200 milhões de euros, a preços de 2010, e gerando cerca de 35 000 postos de trabalho diretos e indiretos.
Destaca-se ainda a contribuição para a redução das importações de combustíveis e a redução de custos com emissões de CO2.

Garantida mais de 40% de incorporação nacional

Consciente da importância destes investimentos para o desenvolvimento económico do País, e em coerência com os princípios de desenvolvimento sustentável, a EDP e o Consórcio Adjudicatário do projeto de Salamonde II assinam também um protocolo em que se comprometem a promover a participação da indústria portuguesa. O objetivo é atingir uma incorporação nacional da ordem de 44%.

Efacec, Tegopi, Cabelte, Sofomil e Pemel são algumas das empresas portuguesas, com historial na construção dos aproveitamentos hidroelétricos nacionais, que já estão indicadas para o fornecimento de importantes componentes deste projeto.

Sobre Salamonde II:

Este reforço de potência, localizado na margem esquerda do Rio Cávado, está em construção desde o fim do ano de 2010, tendo conclusão prevista para meados do 2.º semestre de 2015. Envolve um investimento de cerca de 200 milhões de euros.

A concretização de mais este projeto terá efeitos benéficos para o sistema elétrico português, com uma potência total instalada de 207 MW, o que permitirá atingir níveis de segurança de abastecimento acrescidos.

Por outro lado, o facto do empreendimento ter capacidade de bombagem constitui um importante contributo para a expansão do parque eólico, aumentando assim a quota de energias limpas, renováveis e endógenas no mix energético.