EDP inicia construção da barragem de Foz Tua

Lisboa, 18 de fevereiro de 2011

O investimento, de 305 milhões de euros, criará cerca de 4.000 postos de trabalho, directos e indirectos

A EDP dá hoje início às obras da barragem de Foz Tua, com a assinatura do contrato de construção adjudicado ao agrupamento de empresas Mota-Engil/Somague/MSF. O projecto envolve um investimento de 305 milhões de euros, contribuindo para a criação de 4.000 postos de trabalho, 1.000 dos quais directos, ao longo dos próximos cinco anos. Foz Tua começará a produzir energia em 2015.

A barragem de Foz Tua situa-se no troço inferior do rio Tua, próximo da sua confluência com o rio Douro, abrangendo os concelhos de Murça e Alijó, do distrito de Vila Real, e os concelhos de Mirandela, Vila Flor e Carrazeda de Ansiães, do distrito de Bragança.

O aproveitamento de Foz Tua foi objecto do 1.º concurso público lançado pelo Instituto da Água (INAG), no âmbito do Plano Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroeléctrico. Com uma potência instalada de 251 MW, a produção média bruta de Foz Tua será de 585 GWh/ano, a que corresponde uma produção média líquida de 275 GWh/ano.

Foz Tua e os restantes 11 projectos de expansão hídrica da EDP totalizam 3.500 MW, um reforço de capacidade de 76% face ao actual parque hidroeléctrico do Grupo. Esta aposta na energia hídrica, endógena e renovável, implica investimentos próximos de 3.200 milhões de euros, gerando cerca de 35.000 postos de trabalho, directos e indirectos.

Agência de Desenvolvimento e Serviço multimodal do Tua
Com o objectivo de valorizar recursos endógenos e aproveitar oportunidades geradas pelo Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz Tua, será criada a Sociedade de Desenvolvimento Regional do Vale do Tua. A nova entidade terá participação dos Municípios de Alijó, Carrazeda de Ansiães, Mirandela, Murça e Vila Flor e vai concretizar projectos considerados estruturantes para a região.

Relativamente à linha do Tua, desactivada entre a barragem e a estação de Brunheda, será desenvolvido um Projecto de Mobilidade com um sistema multimodal. Serão implementados dois sistemas complementares de mobilidade, um destinado à mobilidade quotidiana e outro com finalidade turística.

Para este efeito, a EDP disponibilizará um montante máximo de 10 M€ destinado a alavancar o financiamento global das acções âncora do projecto, cuja solução contempla:

i) A utilização do troço de via-férrea entre a Estação da Foz do Tua e a base da barragem;
ii) Um funicular entre a base da barragem e o seu coroamento;
iii) O transporte fluvial entre a barragem e Brunheda, e a construção de embarcadouros;
iv) A qualificação da infra-estrutura ferroviária a partir de Brunheda.

O serviço multimodal do Tua deverá ser explorado em regime de concessão.

Perfil Técnico:

  • Barragem em betão, do tipo abóbada de dupla curvatura, com 108 m de altura máxima e 275 m de desenvolvimento de coroamento, localizada a cerca de 1100 m da foz do rio Tua, dispondo de um descarregador de cheias inserido no corpo da barragem equipado com comportas, de uma descarga de fundo e de um dispositivo para libertação de caudal ecológico;
  • Central subterrânea em poço, equipada com dois grupos reversíveis, , localizada na margem direita, cerca de 500 m a jusante da barragem, com um edifício de descarga e comando situado à superfície, numa plataforma localizada a montante do encontro direito da ponte rodoviária Edgar Cardoso que liga os concelhos de Alijó e Carrazeda de Ansiães;
  • Circuito hidráulico subterrâneo, na margem direita, com uma extensão total aproximada de 700 m, constituído por dois túneis independentes, revestidos, com diâmetros interiores entre 7,5 m e 5,5 m;
  • Subestação compacta para ligação à Rede Nacional de Transporte, com equipamento GIS, situada na plataforma do edifício de descarga e comando da Central.
  • O projecto inclui também a construção das estradas de acesso ao coroamento da barragem pela margem direita, às tomadas de água e ao cais fluvial e aos bocais da restituição.

Imagens