EDP promove concerto inédito no Alqueva

Lisboa, 08 de julho de 2010

Maior lago artificial da Europa estreia-se como palco cultural

Mariza e Paulo Gonzo vão protagonizar o primeiro concerto no maior lago artificial da Europa, o Alqueva. O evento é promovido pela EDP que volta assim a inovar, fazendo das barragens um pólo de atracção e de dinamização das regiões em que se inserem.

O concerto “Terras de Água” tem lugar a 8 de Julho, quinta-feira, pelas 22 horas. Os habitantes dos concelhos limítrofes serão convidados de honra constituindo a larga maioria dos 600 espectadores presentes. A EDP procura assim promover maior proximidade entre as populações e as centrais hidroeléctricas, infra-estruturas fundamentais no desenvolvimento do país e alvo de grande curiosidade por parte do público. “Estamos a abrir as nossas casas” explica Paulo Campos Costa, Director de Marca e Comunicação do Grupo.

Manifestações culturais como esta, ou como o concerto de 2009, debaixo de água, na barragem do Alto Lindoso, servem também o objectivo de mostrar o vasto património industrial e tecnológico da produção hidroeléctrica em Portugal.

Funcionam ainda como alavanca de promoção e de desenvolvimento das regiões detentoras de barragens. Uma preocupação central na estratégia da EDP. O Grupo, através da Fundação EDP, tem em curso um vasto programa de intervenção nas áreas abrangidas pelas novas barragens, procurando garantir que a riqueza gerada pelos novos projectos tenha retorno para as populações locais. (ver tópicos*)

Este primeiro grande evento cultural da EDP no Alqueva vai ainda poder ser visto por milhões de portugueses através da RTP. O canal de televisão transmitirá em directo todo o espectáculo, fechando um dia de programação especial. Nos vários directos a partir do Alqueva serão abordadas as várias facetas do empreendimento de fins múltiplos. O concerto será também transmitido em directo através do site www.edp.pt.

O Alqueva viverá mais um dia histórico, depois de pela primeira vez as águas terem atingido o nível máximo graças às chuvas do último Inverno.

O evento é igualmente uma celebração para a EDP. O Grupo recorre a ícones da cultura portuguesa para celebrar a produção de energia a partir de fontes nacionais e renováveis e o desenvolvimento sustentável induzido pelos investimentos em curso.

Imagens