Início de construção das novas pontes sobre o Sabor

Lisboa, 07 de setembro de 2012

Com o avanço da construção das 2 barragens que constituem o Aproveitamento do Baixo Sabor, a EDP está a dar inicio à construção das novas travessias que vão substituir as que vão ficar submersas pelas albufeiras de montante e jusante.

Com o avanço da construção das 2 barragens que constituem o Aproveitamento do Baixo Sabor, a EDP está a dar inicio à construção das novas travessias que vão substituir as que vão ficar submersas pelas albufeiras de montante e jusante.

Vão ser construídas 2 novas pontes para garantir o restabelecimento da ligação entre a EN 216 e EN217 que resulta da submersão da atual ponte de Remondes, nos concelhos de Mogadouro e Macedo de Cavaleiros.

Os trabalhos de construção destas duas novas pontes vão iniciar-se brevemente, começando já no presente mês de Setembro a construção da ponte na EN216, com 292 metros a cerca de 600 m a montante da atual Ponte de Remondes, seguindo-se uma outra com 238 metros de extensão que nascerá na EN217 a cerca de 3000 m a montante da ponte a submergir.

Por outro lado está já em franco desenvolvimento a construção de uma travessia sobre a ribeira de Zacarias que inclui uma ponte com 177 metros de extensão, no concelho de Alfândega da Fé, que surge na sequência do restabelecimento da ligação da EN 315. Este restabelecimento ficará concluído em Março de 2013.

Estas 3 travessias têm datas diferentes de conclusão, havendo a garantia que ficarão prontas para o enchimento da albufeira do Baixo Sabor, enchimento cujo inicio ocorrerá gradualmente a partir do final do 2º semestre de 2013 e se concluirá já em 2014.

Entretanto no inicio deste mês arrancaram os trabalhos de uma nova ponte sobre o rio Sabor que vai substituir a ponte da portela na EN 102 que será submersa pela albufeira do escalão de jusante. Esta ponte com cerca de 268 m de extensão ficará concluída em Novembro de 2013. A solução encontrada para este restabelecimento que vai resolver o estrangulamento de trânsito que se verifica na atual ponte da portela, tem a virtude de não obrigar a nenhuma intervenção no Vale da Vilariça.

Estas 4 novas pontes e outros restabelecimentos de menor dimensão irão custar 18 milhões de euros e estão incluídas nas obras complementares da empreitada geral de construção, pelo que serão executadas pelo consórcio construtor que desenvolve as obras de construção das duas barragens e das duas centrais do complexo hidroelétrico do Baixo Sabor. A coordenação e fiscalização destes trabalhos implicou a abertura de um escritório em Alfandega da Fé.

Imagens